2018 em Livros

Quando o assunto é leitura, o ano de 2018 foi bem produtivo.

No total 47 livros. Desses, apenas 6 em papel. A maioria em formato digital, e alguns em formato audiobook.

Nesse ano, preferi as obras literárias e filosóficas em formato texto, enquanto que uma boa parte dos assuntos técnicos foram consumidos em áudio. Essa integração texto/áudio fez toda a diferença na composição do portfólio de livros de 2018.

Depois de algum tempo afastado da leitura literária, esse foi um ano para retomar a leitura de clássicos da literatura. Dostoiévski, Tolstói, Orwell e Kafka me acompanharam durante o ano. Descobri que Dostoiévski está definitivamente em um outro patamar como autor. Nunca vi nada igual.

Na filosofia, o foco foi mais para o lado Existencialista e também algum Pragmatismo Americano (ano passado a investigação do pragmatismo foi bem intensa). Nietszche e Kierkegaard foram a bola da vez. A investigação desse ano girou em torno do tema “significado”, “propósito” e “o sentido da vida”. Isso acabou me levando ao antropólogo Ernest Becker, que também foi uma grata surpresa.

Economics of Good and Evil do economista tcheco Tomas Sedlacek foi certamente um grande destaque do ano. Mas a psicologia acabou sendo o forte desse 2018, com a psicologia social do Kurt Lewin, mais o incrível Jordan Peterson, Kahneman, o Ichiro Kishimi (que me apresentou o trabalho do Alfred Adler) e o Abraham Maslow. O livro do Ichiro Kishimi eu li uma vez e ouvi mais duas em áudio.

Na área da gestão, houve novamente um retorno aos clássicos. Peter Drucker e Russel Ackoff teimam em aparecer todos os anos. Dessa vez, trouxe Tom Demarco e Barry Boehm para o portfólio, que acabaram sendo homenageados nas edições do Software Zen que tivemos esse ano.

Como tivemos um final de ano muito intenso em termos de discussões políticas, consegui adicionar duas leituras para tentar entender um pouco mais sobre o momento político que vivemos, especialmente sobre o conservadorismo. Li Roger Scruton e Olavo de Carvalho. Ambos foram muito bons. Roger Scruton foi certamente uma das melhores leituras desse final de ano. Ano que vem, certamente haverá outras obras dele na minha lista, na qual também provavelmente terá o Edmund Burke.

“A Alma Imoral” do Nilton Bonder também foi um destaque. Apesar de não ser um livro de natureza política, ele usa uma base religiosa para descrever de maneira muito sofisticada a disputa entre conservar vs progredir.

Por fim, vale citar os vários tópicos relacionados a negócios, marketing e finanças, que não pode faltar na lista de qualquer empreendedor ou candidato a empreendedor. Na área de marketing o destaque ficou por conta do “Building a StoryBrand” do D. Miller. Na área de finanças pessoais eu recomendo dois muito bons: You Need a Budget (Jesse Mecham) e The Simple Path to Wealth (JL Collins). Esses dois livros mudaram bastante a forma como eu passei a enxergar a minha vida financeira.

Bom, é isso aí. 2018 foi realmente um ano revelador e com muitas descobertas intelectuais. 2019, por sua vez, é uma grande folha em branco. Vamos ver como ela será preenchida.

Desejo um 2019 de muita felicidade e repleto de muitos livros para todos!

Segue a lista completa dos livros lidos (ou ouvidos) em 2018:

William James, Charles Pierce and American Pragmatism (James Campbell)
Ackoff’s Best: His Classic Writings on Management (Russel Ackoff)
The Art Of Thinking In Systems (Steven Schuster)
Consilience: The Unity of Knowledge (Edward O. Wilson)
Resolving Social Conflicts and Field Theory in Social Science (Kurt Lewin)
Uma era de descontinuidade (Peter Drucker)
12 Rules for Life: An Antidote to Chaos (Jordan Peterson)
The Subtle Art of Not Giving a Fuck (Mark Manson)
The Courage to Be Disliked (Ichiro Kishimi)
Skin in the Game: Hidden Asymmetries in Daily Life. (NN Taleb)
Building a StoryBrand (Donald Miller)
Marketing Existencial (Luis Felipe Pondé)
Economics of Good and Evil (Tomas Sedlacek)
The Coaching Habit (Michael Bungay Stanier)
Becoming Wise (Krista Tippett)
How to Think (Alan Jacobs)
Thinking, Fast and Slow (Daniel Kahneman)
The Truth About Your Future (Ric Edelman)
Scaling Up (Verne Harnish)
The Million-Dollar, One-Person Business (Elaine Pofeldt)
Peopleware: Productive Projects and Teams (Tom DeMarco/Timothy Lister)
Existentialism (J. M. Kuczynski)
Fear and Trembling (Soren Kierkegaard)
Compreender Kierkegard (France Farago)
The Birth and Death of Meaning (Ernest Becker)
A Alma de Nietzsche (Clark & Dudrick)
Além do Bem e do Mal (Nietsczhe)
Ecce Homo (Nietsczhe)
Os Irmãos Karamazov (Fiódor Dostoiévski)
Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski)
Uma confissão (Liev Tolstói)
Memórias do Subsolo (Fiódor Dostoiévski)
Guerra e Paz (Liev Tolstói)
O Processo (Franz Kafka)
Animal Farm (George Orwell)
1984 (George Orwell)
Balancing Agility and Discipline: A Guide for the Perplexed (Barry Boehm/R. Turner)
A Theory of Human Motivation (Abraham H. Maslow)
The Richest Man in Babylon (George S. Clason)
Como ser um Conservador (Roger Scruton)
The Simple Path to Wealth (JL Collins)
Homo Deus (Yuval Noah Harari)
A Alma Imoral: Traição e tradição através dos tempos (Nilton Bonder)
A Nova Era e a Revolução Cultural (Olavo de Carvalho)
IT Operation Optimization (Ahmed Fawzy)
You Need a Budget (Jesse Mecham)
Investimentos Inteligentes (Gustavo Cerbasi)