O que nunca te falaram sobre propósito e significado

Hoje é dia de começarmos mais um programa de treinamento online por aqui: A 3a. Edição do Wise Manager.

O Wise Manager foi pensado como uma continuação do nosso programa principal, o Software Zen, onde eu articulo a eficácia como estrutura conceitual fundamental para fazermos a coisa certa tecnicamente em nossos projetos.

Já no Wise Manager, a articulação sobre a coisa certa é feita em torno da ideia de sabedoria.

Você pode saber mais assistindo a esse vídeo que divulguei na semana passada… 

Assim, do Software Zen para o Wise Manager o salto é de profundidade, não de extensão.

Mas o que significa essa profundidade? Significa ter mais camadas de significado entre o que fazemos no dia-a-dia e as coisas que realmente importam no final das contas. Enfim, responder perguntas como:

Qual é realmente o jogo que estamos jogando? Por que pensamos do jeito que pensamos? De onde vem a sua aposta no Ágil, no Lean, no modelo Startup e em outros modelos que emergem atualmente? Por que essas abordagens são tão buscadas no mundo de hoje? Elas funcionariam em qualquer mundo ou contexto? Se não, será que não é importante (ou até fundamental) entender que mundo é esse?  Ok, mas dado que o mundo está mapeado, o que isso representa pra você? Como se relacionar com um mundo tão dinâmico e em constante mudança? Como agir sem tornar tudo caótico ou como não paralisar de medo e tornar tudo rígido e tedioso? Enfim, as perguntas são muitas e não param por aí.

Uma dessas camadas de significado é, ao meu ver, a mais importante: a do propósito. No curso, a gente vai abordar isso no módulo 4, com a ideia existencialista de “Tornar-se quem você é”. Isso vale para sua empresa, para o seu negócio, mas vale principalmente pra você.

Atualmente, no mundo corporativo, propósito e significado têm frequentemente um debate raso. Fala-se em transformar o mundo, envolver-se com uma finalidade especial, encontrar uma missão de vida.

Repare que todas essas expressões levam o debate para o futuro e para fora de você. O mundo que você vai transformar está fora de você, a finalidade especial também está fora de você, assim como uma suposta missão de vida. A questão se torna meramente de cunho ético, deixando algo importante de fora.

O ponto é que por mais nobre que seja a transformação, a finalidade ou a missão, elas não necessariamente vão coincidir com sua fonte de significado. 

Uma fonte de significado é aquilo que, quando você entra em contato, energiza seu espírito. Ela integra a sua personalidade, cognição, interesse e necessidades, nos transformando em uma força ativa de influência no mundo social a nossa volta.

Propósito é o que transborda para o mundo social depois que você entra em contato com a sua fonte de significado. Ao contrário do que muitos pensam, para encontrá-lo é preciso olhar não para fora e para frente, como se sugere quase sempre; mas para dentro e para trás, ou seja, para si mesmo e para o seu próprio passado!  É preciso sair do ético e adentrar o mundo da estética existencial: o tornar-se quem você é.

É sobre isso que falaremos no módulo 4.

Para entender o que isso significa precisaremos investigar as nossas questões existenciais mais profundas para sabermos como podemos ‘Tornar-nos quem somos’.

Veja a ementa que vamos explorar durante essa investigação no Módulo 4:

A CONDIÇÃO EXISTENCIAL HUMANA

  • A escola existencialista de filosofia
  • O mito de Sísifo: análise existencial de Albert Camus
  • O Absurdo como conceito existencial
  • Shakespeare, Hamlet e o significado da famosa frase “ser ou não ser, eis a questão”
  • O übermensch de Nietzsche e a construção de sentido para si mesmo
  • Sartre e a inexistência de sentido a priori (a existência precede a essência)
  • Do ponto A para o ponto B: sempre mirando e atirando
  • O propósito e sua perspectiva psicológica
  • Jaak Paksepp e o efeito da dopamina na nossa neurologia
  • Propósito transcendente como direção de mais alto valor
  • O Self Junguiano e o seu alinhamento de potencial
  • A compatibilidade com habilidades e interesses
  • Os efeitos sociais da estruturação de propósito
  • O senso de significado e as perguntas que precisamos fazer a nós mesmos
  • A conexão com o estado de fluxo de Csikszentmihalyi
  • A sociologia do propósito e o pensamento sistêmico
  • O propósito nas estruturas corporativas: visão e missão corporativa
  • Exemplo de empresa com uma boa estrutura de propósito definida

TORNANDO-SE QUEM VOCÊ É

  • O problema da singularidade da existência
  • Análise da obra Fear and Trembling de Kierkegaard
  • Da ética para a estética e o “salto de fé”
  • Nietzsche e o significado da existência como um imperativo de estilo
  • Análise Artística: Filme Groundhog Day
  • Nietzsche e a ideia organizadora: Tornando-se quem você é
  • Charles Taylor e a estrutura de auto-interpretação do ser humano via linguagem expressiva
  • A autenticidade do indivíduo e a busca pela totalidade harmoniosa
  • O propósito e sua manifestação social
  • Extração de propósito por meio de análise da personalidade
  • Exemplo real da estruturação de propósito individual e de negócio realizada na vida do próprio instrutor do curso (Alisson Vale). Como ele vem se tornando quem ele é?

Se você já fez sua matrícula para essa 3a. edição, já deve ter recebido os links para a nossa sala virtual da aula de hoje à noite.

Se não, ainda dá tempo! É só clicar aqui e se matricular agora mesmo… 

Abs,
Alisson